STEAMBOAT SPRINGS - COLORADO, EUA

6 de julho de 2008

TEMPORADA DE 2005/2006


O embarque

Embarquei na noite de 14 de dezembro de 2005, véspera do meu aniversário. Passei meu aniversário no avião, comemorando com os intercambistas (Henrique e Johnny) que havia conhecido durante as palestras e festas pré-partidas. Estávamos os três ansiosos pelo o que poderia nos aguardar na terra do Tio Sam.

O meu programa escolhido foi o Placement. Por uma razão muito simples: como me inscrevi somente em outubro, não havia mais nenhuma Job Fair. E até então nunca tinha ouvido falar do Self Placement.

Foi uma viagem bem longa. Entre conexões e vôo, foram quase 24 horas de viagem. Mas tirando o cansaço, tudo correu bem durante a viagem. O nosso destino seria Steamboat Springs, uma pequena estação de Ski no Colorado.


Chegada

Chegamos em Denver, mas ainda tínhamos muita viagem pela frente! Haviam dois funcionários do nosso empregador nos esperando no aeroporto. Eram uns russos muito figuras.


O trajeto de carro é bem longo. São mais de 3 horas de viagem, e pra piorar tinha nevado muito, o que atrasou ainda mais o caminho.


Para ir de Denver para Steamboat, existem 3 opções: Perto de Hayden, tem o Yampa Valley Airport, que fica a 30 minutos de Steamboat Springs, e tem vôo de Denver para lá. Você também pode usar o shuttle Colorado Mountain Express. Ou você pode alugar um carro, deixar ele no Yampa Valley Airport, e pegar uma shuttle de lá. Se você estiver em grupo, essa última opção com certeza é a mais barata.

Os russos nos levaram até Hayden, uma pequena cidade (1.500 habitantes) que fica a 30 minutos de Steamboat. Era onde ficava a nossa moradia, e onde morava o nosso empregador.

Fomos diretamente apresentados ao nosso empregador (mesmo muito cansados, ele fez questão de nos conhecer no mesmo dia), o Peter. Ele falou com a gente por uns 5 minutos, e já colocou a gente pra começar a trabalhar no dia seguinte. Depois os russos nos levaram para onde seria a nossa moradia.


Housing em Hayden


A nossa casa era ótima: Tinham 3 quartos (um deles com 2 camas de casal), um banheiro, sala com televisão a cabo, cozinha toda equipada (geladeira, fogão, máquina de lavar louça, microondas), máquina de lavar roupa e secadora. Éramos 7 brasileiros morando nela.


O nosso empregador deixou as brasileiras morando em uma casa próxima, e ainda tinham uns russos em uma terceira casa.


Sempre reuníamos todos em nossa casa e fazíamos várias festinhas lá, aproveitando o fato de que quase não tinham vizinhos por perto. Compramos um som baratinho, e eu comprei um PS2 e toda semana rolava um campeonato de Fifa Soccer com a galera. Quando a festinha não era na nossa casa, era na casa das meninas.


O preço da casa era U$ 250/mês, além das utilities (gás, luz, água, etc), que fez o preço subir a quase U$ 350.

Logo começamos a procurar por outra casa, pois não dava pra continuar a morar em Hayden. Não tem absolutamente nada lá. A cidade tem 1.500 habitantes, algumas poucas ruas, um bar, um posto de gasolina, um correio, uma biblioteca e um pequeno supermercado. Nem ônibus tem.

Pra dizer que não tem ônibus, existe um ônibus que vem de Craig, e passa duas vezes de manhã em Hayden (6:30h e 7:00h) levando pra Steamboat. À tarde ele passa duas vezes em Steamboat (16:30h e 17:00h) levando o pessoal de volta. E só.


Pra compensar, o nosso chefe deixava uma van com a gente, para que pudéssemos ir e voltar do trabalho. Mas mesmo assim não valia a pena. Pra voltar de Steamboat, embora fossem apenas 30 minutos, tinha que pegar uma estrada, que muitas vezes ficava bem perigosa por causa da neve. Também ficávamos muito longe do movimento de Steamboat, e acabava que nossa vida era praticamente para ir e voltar do trabalho.



A procura por Housing em Steamboat Springs

Toda semana sai um jornal local (Steamboat Pilot & Today) que tem uma sessão de classificados, onde sempre aparecem algumas casas para serem alugadas. Por algumas semanas seguidas, a gente ligou para todas as casas oferecidas e nada. Todos sempre diziam que queriam pessoas para morar o ano todo, e não pela temporada. Por mais que insistíssemos e implorássemos, nada conseguíamos.

O mais perto que chegamos de conseguir algo, foi uma vez que marcamos com a dona de ir conhecer a casa. Chegamos lá no horário marcado, e nada. Ficamos uma hora no frio esperando pela dona da casa, que não apareceu. Quando chegamos em casa, indignados, ligamos para ela pra perguntar o que aconteceu: ela disse que o marido dela preferiu alugar a casa para umas garotas que ligaram para eles logo depois da gente.

Em Steamboat Springs acontece o mesmo que na maioria das estações de ski: é muito difícil arrumar moradia. Se o empregador oferecer housing, já é um belo de um bônus. Caso você resolva ir de self para Steamboat, procure por moradia com bastante antecedência!

Já praticamente desesperançados, adotamos uma tática desesperada. Em todos os lugares que íamos, fosse supermercado, Wal-Mart, restaurante, a gente perguntava pra todo mundo se alguém tinha, ou conhecia alguém que tinha uma casa para alugar em Steamboat.

Acabou que foi dessa maneira que arrumamos a nossa moradia. Um dia na academia, conversando com a atendente, ela nos disse que estava saindo da casa onde morava no fim do mês, e a dona não tinha ninguém pra morar no lugar dela. A casa tinha vários “poréms” (era por isso que ela não conseguia arrumar ninguém pra alugar a casa), mas ficava em Steamboat, e era isso o que importava.

No dia primeiro de fevereiro, saímos de Hayden e fomos morar em nossa primeira casa em Steamboat Springs.

Para ajudar na procura por Housing em Steamboat Springs, valem as diversas dicas que dei nos meus posts sobre Housing.


Housing em Steamboat Springs


A nossa moradia ficava no Steamboat Campground, onde fica o último ponto do ônibus. Pra chegar ao ponto de ônibus, precisávamos percorrer um trecho de uns dois minutos pela estrada (não mais que isso), e por isso a noite era meio perigoso.


O Steamboat Campground é um local que nas décadas de 60 e 70, era reservado para os trailers. Tipo um acampamento de trailers mesmo. E é assim até hoje, só que muitos desses trailers foram modificados, e ficaram parecendo com uma casa. Era o caso da nossa moradia.


A nossa casa tinham dois pequeninos quartos (só cabiam uma cama) e em cima da sala tinham dois mezaninos que a gente também usava de quarto. Dormiam 6 pessoas lá: uma em cada quarto, e mais duas em cada mezanino.



Além disso, a casa tinha um banheiro, uma cozinha e uma bela varanda. Essa varanda tinha mais de um metro acumulado de neve, mas um dia nós resolvemos tirar a neve e fizemos um churrasco! O aluguel da casa custava U$ 250/mês, já incluído com as utilities.


Era bem louco morar lá. A casa tinha um estilo bem antigo mesmo, com móveis velhos e tudo feito de madeira. O chuveiro era mais baixo que a gente, então tínhamos que tomar banho abaixado. A cozinha não tinha nem lava louça e nem microondas, o que fazia a pia estar sempre cheia de panela suja. A galera que dormia nos mezaninos (eu, por exemplo) às vezes tinha que agüentar as luzes acesas do pessoal que ainda estivesse acordado, já que os mezaninos ficavam em cima da sala, e eram todos abertos. Só um dos quartos tinha uma cama, então todo mundo teve que comprar um colchão inflável (o que na verdade era bem confortável, então não foi um problema). A parede da cozinha era toda cheia de cartões postais. E o mais impressionante: dois gatos moravam lá com a gente!

Era o seguinte: a verdadeira dona da casa saiu dos EUA e foi morar em outro país. Pediu para uma amiga dela ficar tomando conta da casa, e disse que ela poderia alugar a casa se quisesse. Só que ela era dona de dois gatos, e por enquanto não poderia levar eles com ela. Então quem fosse morar lá teria que aceitar morar com os gatos! Por dois anos morou a atendente da academia, que era também uma amiga da dona da casa. Que por isso não se importava de ficar com os gatos. Mas ela queria sair de lá, e ninguém aceitaria morar com os gatos!

Só ficamos um mês lá. Quando chegou em março, muita gente já tava voltando pro Brasil, então no meio do mês só ficaria mais eu e uma pessoa na casa. Na casa que as meninas (as de Hayden) conseguiram arranjar em Steamboat, estava acontecendo a mesma coisa. Então resolvemos unir as duas casas, e fomos todos morar na casa das meninas!


Nossa segunda moradia em Steamboat


No início foi um aperto. Todo mundo se espremeu na casa das meninas, pois não dava pra ficar só metade do mês na outra casa, ou teríamos que pagar pelo mês todo. Além de nós brasileiros, moravam lá um americano e uma polonesa.


Uma curiosidade: por uma semana eu fiquei indo na minha antiga casa alimentar os gatos, pois não estávamos conseguindo falar com a responsável, e eu fiquei com medo deles morrerem de fome!

Essa casa era bem melhor. Toda equipada: tinham 3 quartos, 2 banheiros, cozinha completa e uma sala confortável. Ficava na melhor localização possível: na 7th street, que fica exatamente no meio do centro. Academia, biblioteca, restaurante... Isso tudo eu ia a pé! E o aluguel também custava U$ 250/mês com as utilities incluídas!

Moramos lá até o fim da temporada, e com certeza é aonde mais vale a pena morar em Steamboat! Era perfeito, tudo ficava perto.

O The Steamboat Ski & Resort Corporation (empregador da montanha) oferece um housing que não fica no centro, mas fica perto da montanha. Então pelo menos se chega rápido no trabalho (em menos de 10 minutos). Ele era bem disputado por todo mundo. Até quem não trabalhava para a montanha tentava dar um jeito de morar lá. As casas são excelentes: dois quartos e dois banheiros, todas mobiliadas, para apenas 4 pessoas! As utilities já vêm incluídas, e o preço da temporada passada foi de U$ 340/mês, com mais U$ 300 de security deposit que é devolvido no fim da temporada se a casa estiver OK. São bem espaçosas e se terá um nível de conforto alto aqui. Embora caras, valem muito a pena! Se você for trabalhar para esse empregador, e conseguir espaço nesse housing (o espaço é limitado, mas não costuma lotar), aceite!

O Sheraton também oferece acomodação para os seus funcionários, que custa bem mais barato. No entanto, o conforto deve ser bem menor.


O transporte

O sistema de transporte da cidade é um de seus pontos fortes. Tem uma Bus schedule que mostra o horário exato que o ônibus passa em cada ponto. Com ela você consegue se localizar fácil na cidade, pois tem um pequeno mapa com as paradas.

Seja pontual na hora de ir pegar o ônibus. Embora algumas vezes ele possa atrasar por causa da neve, ele tem um horário preciso pra passar em cada ponto, que o motorista vai tentar seguir a risca. Isso é feito justamente para os passageiros não ficarem muito tempo esperando no frio. Portanto, se você chegar um minutinho atrasado no ponto, provavelmente já vai ter perdido o ônibus!


Entre o centro e a base da montanha, os ônibus passam de 15 em 15 minutos. Nos demais lugares da cidade, passam de 30 em 30 minutos. Eles são totalmente de graça!



A cidade

A cidade é bem simples, mas não falta nada. Ela tem apenas 10.000 habitantes, mas durante a temporada de ski, chega a pular para 25.000!


Em Steamboat se faz muito frio. Peguei alguns dias de -25ºC, e não dá pra ficar na rua não. Era um frio de correr desesperadamente pra dentro dos estabelecimentos. Foram poucos os dias com esse frio super intenso, mas -10ºC era uma temperatura relativamente comum. De manhã cedo era o pior horário, principalmente nos dias com céu aberto (por incrível que pareça, os dias de Sol eram mais frios do que os dias nublados). Janeiro é o pior mês, mas depois começa a melhorar. Melhorou tanto, que quando chegou em abril, durante o dia dava pra andar na rua de camiseta.


A Lincoln Avenue é uma avenida que cruza a cidade inteira. Ela depois se transforma na US-40 que vai até a I-70, a estrada para Denver.

O Discovery Map tem um mapa interativo muito bom da cidade.


Antes do centro (sentido Hayden)

Aqui fica o Steamboat Motors, que é o único Rental Car da cidade. Para se fazer as viagens, a melhor forma é alugando um carro, e os aluguéis não são caros. Para chegar nele é fácil: tem um ponto de ônibus na bus schedule com o nome da loja, que fica exatamente do outro lado da rua.

Aqui também tem um boliche (o Snow Bowl), que fica no segundo ponto de ônibus da schedule.


O centro

O centro, que é chamado de Main Street, é composto de 13 ruas, numeradas de 1st a 13th street. Boa parte do movimento fica aqui!

Na 3rd street tem um mini supermercado e o Wells Fargo Bank. O Wells Fargo é um excelente banco, que tem nos EUA todo, e não cobra tarifas para se abrir uma conta. Se você for trabalhar para a montanha, eles vão te fazer abrir uma conta nele.


Entre a 5th e a 9th street é onde rola a noitada por lá. Tem os restaurantes Steamboat Smokehouse e o Rio Grande Mexican, que são bons para ir tomar um drink. Para ouvir música, tem o Old Town Pub.


Na 7th street tem também uma galeria com uma loja de música e uma loja da Quicksilver. Do outro lado da rua tem um posto de gasolina com uma loja de conveniência (me salvou algumas vezes de manhã antes de ir trabalhar).

Na 8th street fica o 8th Street Steak House, que é o mais parecido que se tem com as churrascarias brasileiras. Você escolhe a peça da carne que você quer comer, tempera e coloca na grelha pra esquentar você mesmo. É muito bom, mas caro.

Na 11th street fica a academia da cidade, o Peak Fitness. A dona é muito legal, e só me cobrou U$ 100 pela temporada inteira, pois eu tinha um emprego voltado para a montanha. Para os adeptos, esse é o lugar para se ir.

Na 13th street fica a biblioteca, onde têm vários computadores com internet grátis. É lá que todo mundo mata as saudades do Brasil!

Além disso, como opções para se comer no centro, têm alguns restaurantes que vendem sanduíches, alguns restaurantes italianos e uma pizzaria.

11 comentários:

Catarina disse...

he he he

tá faltando só dicas legais sobre COMO ARRUMAR MORADIA coletiva lá!!!



=)

mas o blog tá legal, conheci por um amigo meu.


;)

Renato Lopes disse...

Catarina,

Dá uma pesquisada no meu blog, que eu falo sobre isso em outro post!

Vai em Marcadores / Housing - http://lopesintercambio.blogspot.com/search/label/Housing - que eu dou várias dicas legais sobre isso!

Octavio disse...

Cara, parabéns pelo Blog,

estou indo para la vlww

Danilo disse...

Muito bom seu blog, Renato!! Parabéns! Lembrei dos meus Work Experiences. No último, eu fui para Salt Lake City. Trabalhei no aeroporto de lá. Lendo o seu blog, bateu aquela saudade, kra!!! Parabéns! Um abraço, Danilo. P.S.: Sou de Salvador-BA.

Arthur disse...

Achei mto bacana sua iniciativa de contar suas experiências e ter disposição para dar tantas dicas! Estou indo viajar agora em dezembro para o programa work and travel, provavelmente ficarei no colorado! Tentei encontrar seu email no perfil, mas não consegui, se tiver disposição de me mandar um email (a_bretas@hotmail.com)! Queria te perguntar mais algumas coisas, além disso quanto mais informações melhor neh?! heheh..de qualquer jeito tudo o que vc falou aki já ajudou bastante! Parabéns pelo Blogg! Abraço!

Renato Lopes disse...

Arthur,

Como vai, tudo bem?

Porque você não vai esclarecendo suas dúvidas por aqui mesmo? Passo o dia inteiro no trabalho e quase não acesso meu e-mail pessoal... fora que suas dúvidas podem ser as mesmas de outras pessoas, e assim podemos ajudar outros também.

Abraços!

Arthur disse...

E ai Renato tudo bem?
Depois de muito tempo acabei me decidindo e vou para Steamboat springs! Suas dicas serão de grande valor para mim. Tenho uma dúvida! Estava olhando uma casa perto de Ponds, voce conhece? Tem algum pró ou contra? Muito obrigado! Abraços!

Arthur Bretas

Renato Lopes disse...

Fala Arthur,

Beleza?

O Ponds é a moradia do Steamboat ski resort né? O local é bom se você for trabalhar na montanha ou em algum lugar bem próximo da estação, porque fica bem perto de lá... papo de levar menos de 10 minutos de ônibus.

O único problema é que para qualquer coisa que você queira fazer (supermercado, night, etc), terá que pegar ônibus, nesse sentido morar próximo a main street facilita... mas como é bem difícil conseguir uma moradia lá, vale a pena morar ai sim!

Abraços e qualquer nova dúvida me fala!

leozim__ar disse...

E ai Renato, blz?
cara gostaria de saber como é a vida noturna em Steamboat Springs. Vou de self no fim do ano e tô na pesquisa ainda de onde vou morar, minha ideia é que seja um lugar meio termo com boa oferta de emprego, que tenha boas opções de curtição e que dê pra praticar bem o ingles. Será que existe esse lugar? alguma dica?

Obrigado desde já e parabéns pelo blog, tá muito show!

Renato Lopes disse...

leozim__ar

Entenda que a cidade de Steamboat Springs é um cidade BEM pequena, e NÃO tem muitas opções de lazer. Tem apenas alguns bares e pubs, e na época que eu morei lá, só tinha uma boate (que fechou durante a temporada e não sei como está agora).

Além disso, se você morar dentro da cidade de Steamboat Springs (e não em uma cidade ao redor), você de um modo geral vai estar perto de tudo, você pode precisar pegar um ônibus, mais não deve levar mais de 10 minutos para chegar ao seu local.

O melhor lugar para morar é na Main Street e nas ruas transversais a ela (entre a 1st e a 13th Street). Se você conseguir morar em alguma dessas ruas (o que é difícil, porque a oferta é escassa), você vai estar beem perto de tudo, e tirando a estação de ski em si, de um modo geral você vai a pé para quase tudo.

Praticar bem o inglês depende da sua vontade, o bom dessa cidade é que não tem tantos brasileiros assim (mas tem alguns). Os empregos melhores para praticar inglês são os que tem contato direto com os clientes, mas só depende de você praticar o inglês, afinal todos ao seu redor falam inglês.

Qualqur outra dúvida me fala... Um abraço.

Anônimo disse...

Oii Renato!

Descobri seu blog, pesquisando sobre Denver. Preciso muito de sua ajuda. Vou participar do Work and Travel no final de novembro,irei trabalhar em Montana. Mas preciso de alguams dicas, pois ficarei quase um dia em Denver. Se puder, me mande um email. Obrigada.


brunacibrao@hotmail.com

Link-me